Você está aqui:Home»Blog»Um Ato de Amor
Meus pensamentos adoram se enroscar nas minhas memórias. Isso é um fato. Quando atendo pacientes, nem faço força para isso não acontecer. Entendo que me ajuda a ajudar quem me procura. Outro dia, enquanto ouvia a narrativa queixosa de um paciente sobre as dificuldades de sua esposa, percebi que a escuta dele em relação a ela estava baixa. Essa postura dele me fez enganchar numa época em que meu marido viajava mais de cem km todos os dias para chegar ao trabalho. Como dormia em casa, tinha que fazer o mesmo percurso para voltar. Foram mais de dez anos. Viajava muito para o exterior. Muitas vezes me levava junto e assim estive como princesa em lugares lindos. Ganhava bem. Tinha carro da empresa. Em casa não faltava nada... só a presença dele. Um dia ele começou a falar em mudança. Queria largar aquela vida. Queria ficar mais perto de mim e dos filhos. Lembro bem como isso me assustou. Pensei na segurança que o seu contra cheque nos dava todos os meses e em todos os cantos da sereia que seu emprego nos fez ouvir durante muitos anos. Fui um empecilho, mais que isso, uma barreira forte contra seu desejo. Em algum momento, finalmente, parei de resistir e notei a urgência que havia no sonho do meu companheiro. A mudança aconteceu e nossas vidas foram adiante. Quando acreditamos que possuímos o dom de saber a verdade das coisas, o melhor caminho ou qualquer outra maluquice desse gênero nossa escuta cessa. Escutar o outro é um ato de amor. Saber escutar não só as palavras, como os suspiros, as pausas e interpretar todo o conteúdo não verbal é uma arte orquestrada pelo coração. Foi por muito pouco, por estar acomodada e por não querer ouvir nada que abalasse meu equilíbrio, que eu quase sufoquei quem me era mais caro, quem tanto amava. Depois desses lampejos indaguei meu paciente sobre o que ele poderia me dizer dos sonhos de sua esposa. Ele desembuchou uma resposta rápida, como se estivesse num duelo e atirasse: os sonhos dela arrebentam os meus! E como quem chuta em gol sem goleiro para defender falei de mansinho: Pois é...então, agora me fale dos seus medos...
Lido 2495 vezes
Avalie este item
(2 votos)

Comente e Compartilhe

4 Comentários

  • Link do comentário Marília Tannuri Verni Quarta, 17 Outubro 2012 14:56 postado por Marília Tannuri Verni

    Querida tia Rosali,
    Parabéns pelo blog, está lindo e muito gostoso de ler.
    Estarei sempre passando ´por aqui para ver as novidades.
    bjs
    Marília

    Relatar
  • Link do comentário Monica Pardii Quarta, 17 Outubro 2012 10:48 postado por Monica Pardii

    Parabens ,adorei o texto e a idéia do blog,vc sabe sou sua á!!!estarei sempre por aqui bjssss

    Relatar
  • Link do comentário Luciane Castro Quarta, 17 Outubro 2012 08:06 postado por Luciane Castro

    Oi mha querida. Parabéns por mais esta conquista. Adorei este blog, adorei os escritos... adoro seu jeito de viver a vida! Bjo carinhoso de mta sorte!

    Relatar
  • Link do comentário RACHEL COHEN Terça, 16 Outubro 2012 19:25 postado por RACHEL COHEN

    LINDO, EXTREMAMENTE SENSÍVEL E MUITO PRÓPRIO EM NOSSAS VIDAS. SABER OUVIR É UMA ARTE E NEM TODOS POSSUEM ESSE DOM. TENHO MUITAS SAUDADES DOS MOMENTOS QUE VIVEMOS MAIS PRÓXIMAS. BJS PRA VOCE, RONIE, OS BABYS E FAMILIAS. RACHEL

    Relatar

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*).

Newsletter

Receba as atualização do site por e-mail.

Os + Lidos

Facebook