Você está aqui:Home»Blog»Impasse
Ela havia concordado em desistir. Foi capaz de entender que uma festa custaria caro e que ninguém estava com dinheiro sobrando. Pareceu entender também que na vida temos que ter prioridades e bom senso. Seu noivo estava guardando tudo o que podia para comprar um carro. Eles iriam morar nos fundos da casa da avó dele e não iriam pagar nada por isso. Então, abrindo mão do vestido, das flores, das fotos e filmes, dos doces e bolo e mais algumas despesas poderiam começar a vida de casados sem dívidas. Parecia perfeito. Mas, como uma flor esquecida num vaso com pouca água, ela foi murchando. Havia nela um desejo que estava sendo atropelado por falas coerentes. O rapaz, muito bonzinho, bastante batalhador, mas imaturo e pouco sensível, não entendeu o que se passava com ela. Numa conversa com amigos, lhe orientaram para caprichar mais no sexo. Ele tentou, mas não era nada disso que ela queria. Rejeitou a oferta do seu macho fechando a cara, as pernas e assim, fechou também o tempo, provocando uma grande tensão no ar. Como o estrago já estava mesmo feito, ela juntou coragem e como diriam os mais simples, enfiou o pé na jaca voltando ao tema da festa de casamento. Ele se mostrou sem paciência. Que saco! Já estava tudo certo. Você adora falar de coisas que já foram resolvidas! Com os olhos espantados pelo exagero que sentiu na reação dele, a noivinha abriu seu peito e mostrou o que estava lhe fazendo mal. Se concordamos casar sem festa e pareceu para você que estava tudo certo, saiba que não está. Aliás, para mim nunca esteve. Gosto de imaginar a alegria e emoção de ter nossos parentes e amigos nos abraçando, dançando e festejando a nossa união. E as contas? Fala gatinha, quem vai pagar? Para tudo existe um jeito na vida... Claro! Eu posso me matar de trabalhar, me enforcar com dívidas e comprar sua noite de princesa... É assim? Calma, podemos fazer a festa no salão do condomínio da sua irmã, podemos preparar comidas, como se fazia antigamente, um bando de mulheres na cozinha dando conta de tudo. Iria ser bárbaro contar com esse mutirão de amigas! E seu vestido? Vai contratar uma fada ou os ratinhos da Cinderela? Posso alugar um ou até pedir emprestado. Sem deixar a noiva acabar de colocar todas suas idéias, o noivo caprichou bem num grosso e firme "NÃO!". Era como uma queda de braços. O casamento está marcado. Sem festa ela disse que não vai. Com festa, ele não curte e não quer. Foi incrível como ao mesmo tempo, como num coral a duas vozes, se ouviu ambos dizendo: você não me entende e não me respeita! Estou pagando para saber o fim dessa história...
Lido 2140 vezes
Avalie este item
(0 votos)

Comente e Compartilhe

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*).

Newsletter

Receba as atualização do site por e-mail.

Os + Lidos

Facebook